Correria. Sérgio Xavier Filho

Leitura para quem corre

Publicado por | Por Aí | Um Comentário

autograf

No início da noite de ontem, fui até a Livraria Cultura do Shopping Bourbon Country para prestigiar o lançamento do livro de Sérgio Xavier Filho batizado de Correria – Histórias do Universo da Corrida (Arquipélago Editorial, 176 págs.) pelo jornalista gaúcho radicado em São Paulo e diretor do núcleo de revistas esportivas da Editora Abril – entre elas a Placar e a Runner’s World.

Há cerca de dois anos, falei com Sérgio pelo telefone, quando eu era editora na Zero Hora e fazia uma matéria especial sobre corrida para o caderno Donna. Sempre gentil e simpático, Sérgio me atendeu sem demora, e tivemos uma amena conversa, que envolveu, claro, experiências pessoais sobre corrida. Mencionei que eu corria há bastante tempo, já me arriscava em algumas ultras e que estava aprendendo a baixar tempo em maratonas. Ele ficou espantado com meus tempos em algumas provas. Embora não ache meu desempenho assim tão bom, levei aquilo em consideração, já que vinha de alguém com uma excelente noção sobre o assunto. Durante uns 15 minutos, ele abordou questões sobre o crescimento do esporte no Brasil, o que motiva as pessoas a começarem a correr, entre outras.

Desliguei o telefone, feliz de ter descolado a entrevista – e de descobrir que Sérgio era, além de um grande entrevistador e entrevistado, um cara humilde e bem humorado (além de escrever bem pra caramba). Para quem não sabe, o jornalista já escreveu Operação Portuga: Cinco Homens e Um Recorde a Ser Batido em 2010, no qual conta a história de amigos que tentam bater o recorde de um amigo no treino (que era de 2h43min50s). Lembro de ter devorado o livro na beira da praia em dois dias de sol.

Ontem mesmo, enquanto tomava café no shopping, já tinha lido umas 20 páginas de Correria. Nas primeiras páginas, uma colocação que adorei: “correr é ótimo, mas é preciso dividir nossas aventuras com os outros. Conversar sobre treinos e provas é tão essencial quanto correr os tênis e partir para a rua. Conhecer personagens fascinantes pode ser a motivação para o treino no dia chuvoso”.

Sem dúvida, este é exatamente o motivo pelo qual criei esse blog. E o livro de Sérgio me dá mais um gás para começar a botar no papel o projeto de um livro com parte do que vivi nesses anos de quilometragem na rua.

sergio_foto

Agora dão licença, que eu vou ler mais umas páginas…